sábado, 28 de junho de 2014

CLASSIFICAÇÃO FINAL CONCURSO "SUPER-ECO-RECOLETOR" 2013/2014

Mil seiscentas e oitenta e sete pilhas, cento e quarenta e nove tinteiros, trinta e nove baterias de telemóvel e duzentas e oitenta e oito radiografias é o saldo da megacampanha de recolha de resíduos promovida pela primeira vez este ano pela coordenação Eco-Escolas, sob a designação concurso Super-Eco-Recoletor. As pilhas e baterias de TM recolhidas têm sido entregues à Ecopilhas, no âmbito da nossa participação no concurso Pilhão vai à Escola; os tinteiros já foram, na sua maioria, alvo de valorização, revertendo o produto da respetiva venda para a aquisição de materiais consumíveis de apoio ao programa Eco-Escolas; e as radiografias, essas, estão reservadas para doação à AMI, Organização Não Governamental de cariz humanitário.  
A tabela classificativa de Eco-recoletores 2013/2014 ficou então ordenada da seguinte forma:
  1.  André Duarte (6.º A) – 2051 pontos.
  2. Cláudia Lourenço (6.º A) – 1067 pontos.
  3. Bruno Macedo (6.º A) – 1063 pontos.
  4. Ricardo Martins (6.º B) – 464 pontos.
  5. Henrique Nóbrega (6.º A) – 429 pontos.
  6. Diogo Lourenço (6.º A) – 295 pontos.
  7. Micaela Setim (6.º A) – 119 pontos.
  8. Samanta Ferreira (7.º A) – 86 pontos.
  9. Filipe Barreto (6.º C) – 55 pontos.      

Serão atribuídos, logo no início do próximo ano letivo, fantásticos prémios aos três primeiros classificados, bem como prémios de participação a todos os participantes!

segunda-feira, 16 de junho de 2014

MENÇÃO HONROSA NO "PRÉMIO INTERFILEIRAS"

“O destino dos RSU na minha Escola” é como se designa o trabalho de vídeo-reportagem apresentado pelos alunos do 8.º A, André Ferreira, Inês Balanco e Ana Carolina Gonçalves ao Prémio Interfileiras, trabalho que esteve a um passo de conquistar o 1.º prémio no primeiro escalão (alunos dos 13 aos 15 anos) daquele concurso de âmbito nacional. A menção honrosa arrecadada constitui ainda assim motivo de enorme satisfação para a nossa escola, dada a qualidade de outros trabalhos também apresentados a concurso por escolas de todo o país.
O Prémio Interfileiras, recorde-se, constitui um projeto promovido pela ABAE em articulação com a INTERFILEIRAS, entidade que representa as organizações (Fileiras de material) criadas ao abrigo de legislação específica com a missão de assegurar a retoma e reciclagem de resíduos de embalagens. A motivação para a realização de trabalhos de reportagem – vídeo e fotorreportagens – em torno da temática dos resíduos, mediante a realização de um conjunto de investigações locais acerca do retorno e reciclagem de resíduos e embalagens é a principal finalidade deste concurso que, ao que tudo indica, continuará a fazer parte da lista de projetos de participação facultativa disponibilizados pela ABAE a todas as Eco-Escolas do país.
Além do trabalho em destaque, foram apresentados pela nossa escola àquele concurso diversos outros trabalhos, todos elaborados no âmbito da disciplina de Ciências Naturais de 8.º ano, sob supervisão da professora Joana Menezes.
 
Mais informações aqui.      
 
video

segunda-feira, 9 de junho de 2014

ALUNOS DO NONO ANO VISITARAM ETAR DO PAÚL DO MAR

 Numa organização do grupo disciplinar de Geografia, os alunos do 9.º ano da nossa escola participaram na passada quarta-feira numa visita de estudo à Estação de Tratamento de Águas Residuais (ETAR) do Paúl do Mar. Durante a visita àquelas instalações os discentes ficaram a conhecer as diferentes etapas do tratamento das águas residuais, desde o tratamento preliminar (gradagem, remoção de areias e desengorduramento) até à descarga das águas, já devidamente tratadas, no oceano. Algumas etapas do tratamento das águas residuais provocam a libertação de compostos responsáveis por maus odores, pelo que é necessário eliminar estes compostos do ar, o que é efetuado na etapa de desodorização, com extração do ar contaminado. Deste modo, os alunos foram esclarecidos que qualquer ETAR que se encontre na plenitude do seu funcionamento não liberta maus odores, situação que poderia constituir perigo para a saúde pública.
Depois de retirados os sólidos, areias e gorduras, as águas residuais são encaminhadas para tratamento secundário, constituído por processos biológicos e físico-químicos. O processo físico-químico ocorre nos decantadores secundários, verificando-se a deposição de lamas no fundo do decantador, as quais são periodicamente removidas para a linha de tratamento de lamas. As lamas que foram retiradas do processo de tratamento de águas são agora sujeitas a um tratamento e, depois, armazenadas em silos para posterior encaminhamento, tal qual as areias e gorduras removidas das águas residuais, para a Estação de Tratamento de Resíduos Sólidos da Meia Serra.
Parte da água clarificada, já tratada, é lançada no meio recetor. A outra parte segue para a etapa de tratamento terciário, com vista a ser reutilizada na ETAR. No final, a água tratada é devolvida à natureza, através de emissários submarinos, sem por em risco o equilíbrio ecológico.