quinta-feira, 27 de novembro de 2008

ECOBARRETO NA RTP2

É com orgulho e enorme satisfação que vemos os meios de comunicação social a darem destaque a pequenos projectos como o nosso. Desta vez foi o programa "Biosfera", da RTP2, magazine semanal ligado às questões ambientais, que referenciou e recomendou aos seus espectadores o nosso blogue. Apresentamos a seguir um excerto daquele programa. O filme integral (cerca de 46 minutos) pode ser visionado aqui.

video

segunda-feira, 24 de novembro de 2008

CAMPANHA "POUPAR PARA GANHAR"!


Um dos projectos do Clube ECO é a realização de várias campanhas de sensibilização para a poupança de energia - a começar pela nossa escola! O objectivo principal da Campanha de Poupança de Energia intitulada "Poupar para ganhar" é a redução dos gastos mensais relativos à electricidade, facilmente verificável através da facturação. Evitar situações - infelizmente muito recorrentes - de ver uma sala com as luzes ligadas sem ningém no seu interior é o grande propósito desta campanha que se inicia hoje com a colocação de autocolantes alusivos junto aos interruptores das salas. Por isso, o Clube ECO vem solicitar a prestimosa colaboração de todos. Juntos para poupar, juntos para ganhar! Em última instância, quem ganha é o ambiente e todos nós!

Clube ECO.

domingo, 23 de novembro de 2008

MORCEGOS DA MADEIRA EM PERIGO

Feios, nocturnos, associados a contos de terror, os morcegos fazem falta as ecossistemas, previnem eventuais pragas agrícolas e, na Madeira, correm risco de extinção. O projecto da Universidade da Madeira para investigação e protecção das espécies endémicas foi chumbado pela Fundação para Ciência e Tecnologia e, de momento, o trabalho faz-se na base do entusiasmo.
A equipa, da qual faz parte o professor José Manuel Jesus, vai para o terreno quando pode, pois não tem meios para se dedicar em exclusivo à investigação. Ao certo, não se sabe quantos exemplares existem, o que é certo que não serão muitos. Numa das espécies endémicas a estimativa é de que existam pouco mais de 100 exemplares. O que significa, pelas normas internacionais, que este tipo de morcego corre risco de extinção.
São vários os factores que concorrem para a extinção dos morcegos na Madeira, a começar pelas mudanças drásticas ocorridas nos últimos 30 anos nos ecossistemas. A começar estão os hábitos dos nossos morcegos que, ao contrário da tradição das cavernas e grutas, preferem as casas abandonadas, os buracos em árvores e as fissuras em prédios. Ou seja, prefere habitats mais vulneráveis.
Uma casa velha deitada ao chão pode significar a destruição de uma colónia destes pequenos mamíferos que, sem poiso para dormir durante o dia, ficam desorientados. E como se não bastasse a opção por “casas” pouco seguras, as cinco espécies da Madeira debatem-se há anos com as consequências das novas práticas agrícolas.
A dieta dos morcegos faz-se de insectos, sobretudo de borboletas e besouros nocturnos ou crepusculares como eles. Estes insectos alimentam-se, por sua vez, de plantas e, nos últimos tempos, as plantas estão cheias de químicos. Os fertilizantes para adubar, os pesticidas para combater as pragas e, pior ainda, os herbicidas para facilitar o trabalho e acabar com a monda manual.
Os investigadores da Universidade da Madeira acreditam que podem desenvolver a função de insecticida natural aos mamíferos. A ideia é começar pelos castanheiros e pelo combate ao bicho da castanha, provocado por uma borboleta. Para travar o avanço da praga os biólogos da UMa defendem a colocação de caixas nos castanheiros e nas suas imediações como forma de atrair os morcegos.

In Diário de Notícias da Madeira

sexta-feira, 21 de novembro de 2008

EXPOSIÇÃO REDE NATURA 2000 ESTEVE NA NOSSA ESCOLA

Tal como havíamos informado oportunamente a sala de sessões da nossa escola acolheu de segunda-feira até hoje a exposição “Rede Natura 2000”, do Parque Natural da Madeira. Vários foram os alunos e outros elementos da comunidade educativa que passaram por aquele espaço por forma a melhor conhecerem as dezasseis áreas classificadas de zonas de protecção especial do arquipélago que integram aquele rede europeia de áreas naturais protegidas, bem como algumas das espécies indígenas – algumas até endémicas – que lhes conferem esse estatuto.

quarta-feira, 19 de novembro de 2008

SABIAS QUE...?

video

Com os devidos agradecimentos ao professor Ricardo Padrão.

domingo, 16 de novembro de 2008

CONCURSO «SOS FREIRA DO BUGIO»

Numa iniciativa do Parque Natural da Madeira, inserida no projecto de conservação «SOS Freira do Bugio», decorre até ao final do corrente mês um concurso com o mesmo nome destinado a crianças dos seis aos catorze anos de idade. Os interessados em participar devem fazê-lo individualmente enviando uma história sobre a Freira do Bugio para o Departamento de Marketing do MadeiraShopping – outros dos patrocinadores da iniciativa – até ao dia 30 de Novembro. As histórias poderão ser desenhadas ou escritas, desde que originais.
Com uma população actual estimada em apenas cerca de duzentos casais, a Freira do Bugio (Pterodroma feae) é uma ave marinha pelágica – vive grande parte do seu tempo em oceano aberto – endémica da Madeira, mais precisamente de uma das três ilhas Desertas, o Bugio. Esta ave, que vem a terra apenas para nidificar, enfrenta actualmente diversas ameaças e factores limitantes ao seu desenvolvimento, designadamente a degradação do seu habitat de nidificação causada pela acção de herbívoros introduzidos naquelas ilhas, como os coelhos e as cabras das Desertas e, também, à competição pelos locais de nidificação com outras aves locais como por exemplo as cagarras. O insuficiente conhecimento acerca da ecologia desta espécie, nomeadamente sobre os seus locais de alimentação e migração, constitui de igual modo obstáculo relevante à respectiva conservação.
Os trabalhos serão avaliados por um júri constituído por um representante do Parque natural da Madeira, um representante do Diário de Notícias e um representante do MadeiraShopping. Os critérios de avaliação recairão sobre a pesquisa, relevância e coerência com a Freira do Bugio, a criatividade e a apresentação do trabalho. Os trabalhos serão avaliados por escalão etário havendo três premiados por cada escalão.
E, ao que parece, temos já alunos da nossa escola empenhados em mais esta interessante iniciativa que tem o mérito de congregar a vertente de sensibilização ecológica à expressão escrita e visual. Os resultados serão divulgados a dez de Dezembro deste ano.

quinta-feira, 13 de novembro de 2008

VISITA À QUINTA PEDAGÓGICA DOS PRAZERES

No dia 5 de Novembro as turmas dos 7º anos de escolaridade realizaram uma visita de estudo à Quinta Pedagógica dos Prazeres. Estes alunos (cerca de 50) foram acompanhados pelos professores Alice Carvalho, Eduardo Oliveira, Élia Rodrigues, João Geraldes e Nélia Sousa numa visita que pretendeu sensibilizá-los para a importância da biodiversidade na preservação dos ecossistemas. Apesar de muitos já conhecerem o espaço demonstraram um interesse renovado pela Quinta Pedagógica, cumprindo-se os objectivos estipulados aquando da organização da visita no âmbito da disciplina de Ciências Naturais.
Foram várias as imagens tomadas durante a visita mas seleccionámos algumas:



Professora Élia Rodrigues

quarta-feira, 12 de novembro de 2008

REDE NATURA 2000, CONHECER PARA PROTEGER

Decorreu hoje na nossa escola, ministrada por técnicos do Parque Natural da Madeira, uma palestra subordinada ao tema “Rede Natura 2000”. Promovida pelos docentes responsáveis pelo Clube Eco, esta acção teve como objectivo principal sensibilizar os participantes para o tema da biodiversidade, com enfoque particular na problemática da sua conservação. Sob a égide do lema conhecer para proteger, os cerca de trinta alunos e docentes participantes tiveram oportunidade de conhecer o real significado da designação “Rede Natura 2000”, uma rede ecológica cujo objectivo principal visa a conservação da diversidade biológica e ecológica dos Estados Membros da Comunidade Europeia, atendendo às exigências económicas, sociais e culturais das diferentes regiões que a constituem.
Porque na Madeira existem dezasseis áreas pertencentes à “Rede Natura 2000”, que ocupam praticamente 80% do território do arquipélago, a nossa Região assume papel relevante neste instrumento de conservação da Natureza, razão mais do que suficiente para a existência de um maior conhecimento das diferentes áreas protegidas e da sua importância no todo europeu. Entre as dezasseis zonas de protecção especial constam, por exemplo, as reservas naturais do Garajau, da Rocha do Navio, das Ilhas Desertas ou das Ilhas Selvagens, todas autênticos santuários de biodiversidade faunística e florística únicos a nível mundial. Recorde-se que a Madeira constitui a maior zona de implementação da floresta laurissilva, decretada pela UNESCO património mundial da humanidade. De referir que esta acção será complementada com uma exposição sobre o tema, mostra que estará patente à comunidade escolar desde a próxima segunda-feira e até sexta-feira na sala de sessões.

segunda-feira, 10 de novembro de 2008

III HOJE (H)À BOLEIA COM RESULTADOS ANIMADORES...



A Escola Professor Francisco M.S. Barreto, da Fajã da Ovelha, levou a efeito esta segunda-feira a terceira edição do dia Hoje (h) à Boleia, uma espécie de dia sem carros, iniciativa que mais uma vez pretendeu alertar/sensibilizar para a problemática decorrente do uso excessivo dos transportes e da necessidade de adopção de hábitos conducentes a uma mobilidade mais sustentável.
Cerca de duas dezenas de Eco-agentes (alunos), escalados em diferentes turnos, estiveram desde a manhã até ao final do dia a zelar pelo cumprimento escrupuloso das regras de estacionamento: só poderiam estacionar no parque anexo à escola os veículos que se apresentassem com a totalidade da sua lotação preenchida. Com a realização desta actividade estes alunos, supervisionados pelos docentes do Grupo Disciplinar de Ciências e auxiliados por agentes da Polícia de Segurança Pública, procuraram sensibilizar a comunidade escolar para a adopção de alternativas ao veículo privado, designadamente a prática do carpooling (partilha de boleias), a bicicleta e as caminhadas a pé. No final do dia, um misto de satisfação e cansaço estava bem patente nos rostos dos docentes organizadores. É que o número de carros estacionados este ano foi cerca de cinquenta por cento inferior ao verificado na edição do ano passado, o que levou inclusive a que prescindissem do parque de estacionamento frontal à escola. Esta decisão não foi, ao que sabemos, lá de muito agrado de alguns
docentes e funcionários daquele estabelecimento que se viram assim “obrigados” a fazer mais meia dúzia de metros a pé.
As solicitações de repetição da actividade são tantas que a IV edição desta tão popular iniciativa, designadamente entre docentes e funcionários, poderá mesmo acontecer já este ano, para gáudio de (quase) todos.

quinta-feira, 6 de novembro de 2008

HOJE (H)À BOLEIA É JÁ NA PRÓXIMA SEGUNDA-FEIRA


Realiza-se na próxima segunda-feira a terceira edição da iniciativa Hoje (h) à Boleia, uma espécie de dia sem carros, que pretende alertar/sensibilizar para a problemática decorrente do uso excessivo dos transportes e da necessidade de adopção de hábitos conducentes a uma mobilidade (mais) sustentável.
Neste ano lectivo e, contrariamente ao que se tem verificado, a III edição desta actividade decorrerá mais cedo e já no dia 10 de Novembro de 2008 (2ª feira).
Assim, alertamos para o facto de que nesse dia, desde a manhã até ao fim do dia, estará COMPLETAMENTE interdito o estacionamento a quaisquer veículos privados no estacionamento anexo à escola, salvo aqueles que se apresentem com a totalidade da sua lotação preenchida. A fiscalização será realizada por alunos devidamente identificados, auxiliados por agentes da Polícia de Segurança Pública.
Quaisquer informações/esclarecimentos e/ou reclamações devem ser apresentadas aos professores do Grupo Disciplinar de Ciências.

ACÇÃO DE ARBORIZAÇÃO LEVOU MAIS DE UMA CENTENA AO PAÚL DA SERRA



Cerca de uma centena de alunos e uma dezena de professores da Escola Professor Francisco M.S. Barreto participaram ontem numa acção de arborização das serras da Madeira promovida pelo Grupo Disciplinar de Ciências em parceria com a Direcção Regional de Florestas (DRF). Esta escola, recentemente galardoada com a Bandeira Verde, não quis deixar de se associar ao importante trabalho de recuperação e ordenamento florestal das nossas serras, reconhecendo também desta forma o verdadeiro serviço público que vem sendo desenvolvido pela DRF neste particular. Recorde-se que a floresta Laurissilva, cuja principal área de implantação está confinada às serras da Madeira, foi em 1999 reconhecida pela UNESCO património natural da humanidade.
O planalto do Paúl da Serra, mais precisamente a zona de lazer dos Estanquinhos, foi o local escolhido para a concretização desta acção que consistiu da plantação de mais de cinquenta árvores de espécies indígenas da Região (loureiros, tis, vinháticos, uveiras, urzes, etc.) associadas às explicações dos técnicos da DRF acerca de todo o processo de plantação bem como da origem da vegetação local. E porque a satisfação dos alunos foi bem patente no decurso desta actividade consta que mais uma acção do género está já na forja para o próximo período, desta feita destinada a alunos de 2.º Ciclo.
Convém esclarecer porém que a realização destas acções de arborização não se limita à plantação das árvores por si só já que a monitorização do desenvolvimento das plantas é outro dos aspectos a ter em conta neste tipo de iniciativa. Deste modo, o regresso aos Estanquinhos está já previsto lá para Março do próximo ano.

domingo, 2 de novembro de 2008

CONCURSO INTERNACIONAL DE DESENHO: "PAINT FOR THE PLANET”


A United Nations Environment Programme e a Bayer promovem a 18ª edição do Concurso Internacional de Desenho para Crianças subordinado ao tema: “Unite to Combat Climate Change” . O concurso pretende que, através de desenhos e pinturas, os participantes possam expressar os seus receios e esperanças, sobre a situação actual do nosso Planeta. Podem participar neste desafio todas as crianças entre os 6 e os 14 anos de idade, completados até 5 de Maio de 2009 (Dia Mundial do Ambiente). Podem ser utilizados quaisquer tipos de materiais (cores, aguarelas, etc.) mas o formato dos trabalhos terá de ser ou A3 ou A4. A identificação dos dados do autor (nome, idade, morada, telefone e e-mail ) devem estar associados aos trabalhos enviados. Data limite de envio dos trabalhos – 15 de Dezembro de 2008 Mais informações em www.unep.org/paint4planet/ Participa!


sábado, 1 de novembro de 2008

DUAS TERRAS PRECISAM-SE EM 2030...


O consumo exagerado tem um preço alto, diz o relatório. A demanda actual por recursos naturais ultrapassa em quase um terço o que o planeta tem condições de fornecer e, se continuar assim, em cerca de 30 anos o mundo precisará de duas Terras para que seja mantido o estilo de vida de seus habitantes.
Essa é a conclusão da organização WWF no relatório Planeta Vivo 2008, preparado em conjunto com a Zoological Society, de Londres, e o Global Footprint Network. De acordo com o documento, o actual nível de consumo coloca em risco a futura prosperidade do planeta com impacto no custo de alimentos, água e energia."Se a nossa demanda por recursos do planeta continuar a aumentar no mesmo ritmo, até meados dos próximos anos 30 (década entre 2030 e 2040), nós precisaremos do equivalente a dois planetas para manter o nosso estilo de vida", disse o director da WWF International, James Leape.
Os ambientalistas afirmam que o planeta está em direção a uma "crise de crédito ecológica"."Os eventos dos últimos meses têm servido para mostrar que é uma tolice extrema viver além dos nossos meios", disse o presidente internacional da WWF, Emeka Anyaoku."A crise financeira global tem sido devastadora, mas não é nada comparado à recessão ecológica que estamos enfrentando", afirmou.
Segundo Anyaoku, as perdas de cerca de US$ 2,8 trilhões sofridas pelas instituições financeiras com a crise - segundo estimativa recente do Banco da Inglaterra - são pequenas perto do equivalente a cerca de US$ 4,5 trilhões em recursos destruídos a cada ano.
O documento afirma que mais de três quartos da população do mundo vivem em países onde os níveis de consumo ultrapassam as condições de renovação ambiental. Isso faz com que eles sejam "devedores ecológicos", o que significa que estão usando recursos agrícolas, florestais e marítimos que possuem e ainda os de outros países para sustentá-los .Os países com o maior impacto no planeta são os Estados Unidos e a China, que, juntos, representam cerca de 40% da pegada ecológica do mundo - que mede a quantidade de terra e água necessária para fornecer os recursos utilizados e absorver os resíduos deixados.
Já outros países, como o Brasil, são “países credores ecológicos”, já que "ainda possuem mais recursos ecológicos do que consomem", e “exportam” sua biocapacidade para os devedores. O relatório, divulgado bianualmente, traz dois indicadores da saúde da Terra. Um deles é o Índice Planeta Vivo, que reflecte o estado dos ecossistemas do planeta. Baseado nas populações mundiais de 1.686 espécies de vertebrados, como peixes, aves, répteis e mamíferos, esse indicador apresentou uma redução de quase 30% em apenas 35 anos.
O outro índice medido no relatório Planeta Vivo é a Pegada Ecológica, que evidencia a extensão e o tipo de demanda humana por recursos naturais e sua pressão sobre os ecossistemas. A média individual mundial é de 2,7 hectares globais por ano. O índice recomendado no relatório para que a biocapacidade do planeta seja suficiente para garantir uma vida sustentável seria de 2,1 hectares por ano por pessoa.


Fonte: BBC Brasil