EcoBarreto

segunda-feira, 11 de maio de 2015

VENCEDORES DO JOGO “OLHO-CÓDIGO”!




Seis alunos participaram no Jogo “Olho-Código”, iniciativa promovida pela coordenação Eco-Escolas na nossa semana Eco-Escolas, que decorreu de 04 a 08 de maio. Esta atividade teve por objetivo aferir conhecimentos e a capacidade de observação dos nossos alunos relativamente àquele que constitui um do “Sete Passos” da metodologia do programa Eco-Escolas: o Eco-Código. Eco-Código que, como todos sabemos, constitui uma espécie de declaração de objetivos traduzidos por ações concretas que todos os membros da escola devem seguir.
As respostas às questões encontravam-se nos posters Eco-Código da exposição itinerante patente na entrada da escola e, naturalmente, no Eco-Código da nossa escola, pelo que os participantes no Jogo “Olho-Código” tiveram de revelar elevados dotes de observação no sentido de responderem corretamente ao máximo de questões.
Assim, de todos os participantes, aquele que conseguiu responder acertadamente a um maior número de questões – de um total de doze – foi o aluno Aurélio Gouveia, da turma B do oitavo ano, com onze respostas corretas. Joana Neto e Sofia Jardim, ambas do sétimo A, quedaram-se pelo segundo e terceiro lugar, com nove e oito respostas corretas, respetivamente.
Recorde-se que o 1.º classificado será contemplado com um Caderno Rock in Rio – Por um Mundo Melhor + uma esferográfica-lanterna; o 2.º classificado com uma agenda Eco-Escolas + duas esferográficas-lanterna; e o 3.º classificado com duas esferográficas-lanterna.   
Parabéns aos premiados!

quarta-feira, 15 de abril de 2015

CLASSIFICAÇÃO «SUPER-ECO-RECOLETOR»



No âmbito do concurso Super-Eco-Recoletor, campanha de recolha de pilhas, baterias de telemóvel, tinteiros e radiografias inutilizadas, ação promovida pela coordenação Eco-Escolas, cumpre-nos divulgar a tabela classificativa de Eco-recoletores:
  1. Myrko Linden (5.º A) – 306 pontos.
  2. Leonardo Gonçalves (6.º B) – 247 pontos.
  3. João Pedro Silva (5.º B) – 184 pontos.
  4. Pedro Fernandes (5.º B) – 75 pontos.
  5. José Manuel Correia (7.º B) – 55 pontos.
  6. José Luís Pestana (5.º A) – 34 pontos.
  7. Janete Luana (6.º A) – 30 pontos.
  8. Rúben França (5.º B) – 25 pontos.
  9. Diogo Calado (5.º A) – 24 pontos.
As pilhas e baterias de telemóvel recolhidas destinam-se à participação da nossa escola no concurso Pilhão vai à Escola, promovido pela Ecopilhas; as radiografias à campanha de reciclagem daqueles resíduos em favor da AMI; e, os tinteiros, à respetiva venda tendo em vista o financiamento do projeto Eco-Escolas.   
Se ainda não contribuíste para esta iniciativa vais ainda muito a tempo de o fazer já que, este ano, a grande novidade é a atribuição de prémios, para além dos três primeiros classificados, a todos os participantes!

quinta-feira, 3 de julho de 2014

ÁGUA E ENERGIA COM RESULTADOS BASTANTE SATISFATÓRIOS

 A implementação do programa Eco-Escolas, tal como a de qualquer outro programa de intervenção na comunidade escolar, obriga à definição, no início do ano letivo, de metas e de indicadores que demonstrem o seu grau de consecução bem como a eficácia das medidas implementadas.
Uma das metas preestabelecidas no plano de ação elaborado para este ano letivo foi a redução em pelo menos 5% dos consumos de água e eletricidade, comparativamente ao ano letivo anterior. Uma meta que sabíamos ser de difícil alcance mas que, por desde logo termos detetado potencial evolutivo nestas duas áreas de intervenção (Água e Energia), decidimos abarcar. Para que tal fosse conseguido necessitaríamos naturalmente do envolvimento de toda a comunidade escolar, desde os órgãos de gestão da escola, professores, pessoal não docente e, naturalmente, alunos.
Assim, ao longo do ano letivo foram desenvolvidas várias medidas de intervenção, desde ações de sensibilização e informação, afixação / renovação de sinalética apelando para o desligar das luzes e computadores quando em não utilização, instalação de “lembretes” apelando à utilização de luz natural e, tão ou mais importante, a desativação de uma lâmpada na generalidade dos pontos de iluminação, bem como a substituição das lâmpadas antigas por lâmpadas fluorescentes compactas. No que concerne ao tema Água, apostou-se de igual modo na sensibilização e informação da comunidade escolar, na afixação / renovação de sinalética junto de torneiras, chuveiros e autoclismos apelando à contenção nos consumos, bem como na informação aos funcionários de que as regas dos jardins deveriam realizar-se impreterivelmente ao início do dia.
A criação de brigadas da Água e da Energia, equipas de alunos com rotinas periódicas de monitorização regular das condições de utilização de água e de energia nos diferentes espaços da escola, principalmente durante os intervalos e ao final do dia, permitiu a identificação de oportunidades de melhoria, contribuindo para o sucesso alcançado. Os alunos das brigadas foram ao longo do ano letivo registando em grelhas próprias os resultados observados, informação posteriormente veiculada ao professor coordenador Eco-Escolas que, através do processamento e respetivo tratamento, pôde aferir dos progressos alcançados, mediante comparação com a faturação mensal.
Deste modo, a meta redução dos consumos de água e eletricidade em pelo menos 5% comparativamente ao pretérito ano letivo foi amplamente alcançada já que se verificou menos 15% de consumo de água e menos 5.8% de consumo de Energia, resultados que nos deixam naturalmente satisfeitos e que representam uma poupança efetiva de largas centenas de euros.

sábado, 28 de junho de 2014

CLASSIFICAÇÃO FINAL CONCURSO "SUPER-ECO-RECOLETOR" 2013/2014

Mil seiscentas e oitenta e sete pilhas, cento e quarenta e nove tinteiros, trinta e nove baterias de telemóvel e duzentas e oitenta e oito radiografias é o saldo da megacampanha de recolha de resíduos promovida pela primeira vez este ano pela coordenação Eco-Escolas, sob a designação concurso Super-Eco-Recoletor. As pilhas e baterias de TM recolhidas têm sido entregues à Ecopilhas, no âmbito da nossa participação no concurso Pilhão vai à Escola; os tinteiros já foram, na sua maioria, alvo de valorização, revertendo o produto da respetiva venda para a aquisição de materiais consumíveis de apoio ao programa Eco-Escolas; e as radiografias, essas, estão reservadas para doação à AMI, Organização Não Governamental de cariz humanitário.  
A tabela classificativa de Eco-recoletores 2013/2014 ficou então ordenada da seguinte forma:
  1.  André Duarte (6.º A) – 2051 pontos.
  2. Cláudia Lourenço (6.º A) – 1067 pontos.
  3. Bruno Macedo (6.º A) – 1063 pontos.
  4. Ricardo Martins (6.º B) – 464 pontos.
  5. Henrique Nóbrega (6.º A) – 429 pontos.
  6. Diogo Lourenço (6.º A) – 295 pontos.
  7. Micaela Setim (6.º A) – 119 pontos.
  8. Samanta Ferreira (7.º A) – 86 pontos.
  9. Filipe Barreto (6.º C) – 55 pontos.      

Serão atribuídos, logo no início do próximo ano letivo, fantásticos prémios aos três primeiros classificados, bem como prémios de participação a todos os participantes!

segunda-feira, 16 de junho de 2014

MENÇÃO HONROSA NO "PRÉMIO INTERFILEIRAS"

“O destino dos RSU na minha Escola” é como se designa o trabalho de vídeo-reportagem apresentado pelos alunos do 8.º A, André Ferreira, Inês Balanco e Ana Carolina Gonçalves ao Prémio Interfileiras, trabalho que esteve a um passo de conquistar o 1.º prémio no primeiro escalão (alunos dos 13 aos 15 anos) daquele concurso de âmbito nacional. A menção honrosa arrecadada constitui ainda assim motivo de enorme satisfação para a nossa escola, dada a qualidade de outros trabalhos também apresentados a concurso por escolas de todo o país.
O Prémio Interfileiras, recorde-se, constitui um projeto promovido pela ABAE em articulação com a INTERFILEIRAS, entidade que representa as organizações (Fileiras de material) criadas ao abrigo de legislação específica com a missão de assegurar a retoma e reciclagem de resíduos de embalagens. A motivação para a realização de trabalhos de reportagem – vídeo e fotorreportagens – em torno da temática dos resíduos, mediante a realização de um conjunto de investigações locais acerca do retorno e reciclagem de resíduos e embalagens é a principal finalidade deste concurso que, ao que tudo indica, continuará a fazer parte da lista de projetos de participação facultativa disponibilizados pela ABAE a todas as Eco-Escolas do país.
Além do trabalho em destaque, foram apresentados pela nossa escola àquele concurso diversos outros trabalhos, todos elaborados no âmbito da disciplina de Ciências Naturais de 8.º ano, sob supervisão da professora Joana Menezes.
 
Mais informações aqui.      
 
video

segunda-feira, 9 de junho de 2014

ALUNOS DO NONO ANO VISITARAM ETAR DO PAÚL DO MAR

 Numa organização do grupo disciplinar de Geografia, os alunos do 9.º ano da nossa escola participaram na passada quarta-feira numa visita de estudo à Estação de Tratamento de Águas Residuais (ETAR) do Paúl do Mar. Durante a visita àquelas instalações os discentes ficaram a conhecer as diferentes etapas do tratamento das águas residuais, desde o tratamento preliminar (gradagem, remoção de areias e desengorduramento) até à descarga das águas, já devidamente tratadas, no oceano. Algumas etapas do tratamento das águas residuais provocam a libertação de compostos responsáveis por maus odores, pelo que é necessário eliminar estes compostos do ar, o que é efetuado na etapa de desodorização, com extração do ar contaminado. Deste modo, os alunos foram esclarecidos que qualquer ETAR que se encontre na plenitude do seu funcionamento não liberta maus odores, situação que poderia constituir perigo para a saúde pública.
Depois de retirados os sólidos, areias e gorduras, as águas residuais são encaminhadas para tratamento secundário, constituído por processos biológicos e físico-químicos. O processo físico-químico ocorre nos decantadores secundários, verificando-se a deposição de lamas no fundo do decantador, as quais são periodicamente removidas para a linha de tratamento de lamas. As lamas que foram retiradas do processo de tratamento de águas são agora sujeitas a um tratamento e, depois, armazenadas em silos para posterior encaminhamento, tal qual as areias e gorduras removidas das águas residuais, para a Estação de Tratamento de Resíduos Sólidos da Meia Serra.
Parte da água clarificada, já tratada, é lançada no meio recetor. A outra parte segue para a etapa de tratamento terciário, com vista a ser reutilizada na ETAR. No final, a água tratada é devolvida à natureza, através de emissários submarinos, sem por em risco o equilíbrio ecológico.

sexta-feira, 30 de maio de 2014

VENDA DE TINTEIROS PARA RECICLAGEM – UMA VIA PARA A AUTOSSUSTENTABILIDADE

Cerca de cento e cinquenta tinteiros, arrecadados no âmbito da campanha de recolha de resíduos Concurso Super-Eco-Recoletor, foram esta semana devidamente separados e acondicionados tendo por finalidade o respetivo encaminhamento para uma empresa de recolha e valorização de tinteiros vazios, no Continente.
O produto dos tinteiros vendidos – cerca de cem euros – reverterá para a aquisição de material consumível necessário às diversas atividades a desenvolver no âmbito do programa Eco-Escolas, ao longo do ano letivo.
Pense duas vezes antes de descartar os seus tinteiros usados, porque nem todos os resíduos são lixo!