terça-feira, 22 de dezembro de 2009

Feliz Natal

O Clube Eco deseja a todos um Feliz Natal.


(imagem retirada daqui)

"Natal com a Natureza I" - as fotos

sábado, 12 de dezembro de 2009

Concurso "Natal com a Natureza I"

Os alunos do Clube Eco, com a ajuda das professoras responsáveis, planearam e criaram um presépio feito à base de materiais reciclados, para participar no concurso 'O Natal com a Natureza I', promovido pelo Serviço do Parque Natural da Madeira (SPNM, através do seu Centro de Informação, numa parceria com o Caniço Shopping.

Foram utilizados diversos materiais, nomeadamente garrafas de plástico, tampas de plástico, pasta de papel, rolhas de cortiça, restos de tecidos, bases de ovos, cartão, cápsulas de café expresso e ainda palha de bananeira.

O presépio, juntamente com outros 26 de várias escolas da Região, encontram-se em exposição no Caniço Shopping até o dia 11 de Janeiro de 2010.

Convidamos a todos a fazerem uma visita a este estabelecimento comercial, para verem todos os presépios expostos. Podem ainda ver uma foto do nosso presépio, assim como de outros quatro contemplados, na edição de hoje do Diário de Notícias da Madeira online (ver aqui).

Em breve mostraremos algumas imagens da montagem do presépio e da própria exposição.

O Clube Eco aproveita a hipótese para agradecer a importante colaboração dos professores de Matemática e Educação Tecnológica, Gabriel Chada e Patrícia Brito, respectivamente.

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

Vota Planeta






Em Dezembro de 2009, os Chefes de Estado de todo o mundo reúnem-se, em Copenhaga, na Cimeira das Nações Unidas sobre as Alterações Climáticas.
O compromisso é claro: assinarem um acordo global climático capaz de substituir o débil e ineficaz Acordo de Quioto, que termina em 2012.
Para garantir que este acordo é justo e eficiente, a WWF está a trabalhar a nível mundial para angariar vozes e votos suficientemente fortes para mostrar de forma inequívoca aos nossos líderes que estamos atentos e queremos uma acção concreta e indubitável contra o aquecimento global.
Por isso, a tua participação é muito importante! Este é o tempo da derradeira decisão. Ajuda a espalhar esta mensagem de alerta contra o aquecimento global!







Vídeos sobre a Cimeira de Copenhaga

Vídeo que passou na cerimónia de abertura do "United Nations Climate Change Conference 2009" (COP15) em Copenhaga, "Please Help the World".



Vídeo da campanha pela justiça ambiental



e um adaptado com legendas em Português (Brasileiro)

Cimeira de Copenhaga




A Cimeira das Nações Unidas sobre Alterações Climáticas decorre em Copenhaga (Dinamarca) de 7 a 18 de Dezembro, tendo como principal missão chegar a um acordo sobre metas de diminuição das emissões de carbono (CO2). O novo documento deverá substituir o Protocolo de Quioto, que expira em 2012, e será discutido por cerca de 15 mil delegados de 192 países, incluindo alguns chefes de Estado. Além das novas metas de redução das emissões, tanto para os países industrializados como para os em vias de desenvolvimento, serão necessários compromissos sobre o financiamento dos esforços de adaptação às alterações climáticas por todos, mas sobretudo nos países mais pobres. Fonte: Sic Online

Mais informações podem seguir em:

Sic Online

Publico

Blog Conferência de Copenhaga, da Quercus

Em cada um deles é possível encontrar outros links sobre esta temática.





O EcoBarreto estará atento ao desenrolar desta conferência mundial. 

Eco-Escola Google-maps

A localização da nossa escola já pode ser consulta no Google maps, no mapa das Eco-escolas, aqui

A introdução/colocação das escolas é por agora livre e está a ser validada pela ABAE. Todas as escolas já validadas têm o logo como referência. Aguardamos pela validação da nossa.

domingo, 29 de novembro de 2009

Bandeira Verde Eco-Escola

No passado dia 11 de Novembro, a Bandeira Verde Eco-Escola, atribuída pela Associação Bandeira Azul da Europa, foi hasteada na Escola Básica 1º, 2º, 3º Ciclos/PE Professor Francisco Manuel Santana Barreto pelo terceiro ano consecutivo.




O programa do dia da Bandeira Verde englobou várias actividades:


1- Dinamização de uma palestra intitulada “Biodiversidade Insular”, a cargo do Parque Natural da Madeira e dos professores responsáveis pelo Clube Eco;


2-Entrega de prémios ao melhor aluno dos anos de escolaridade correspondentes ao segundo e terceiro ciclos;

3- Entrega de material pedagógico à escola;

4- Lanche saudável, assinalando o Dia de São Martinho, organizado pelos responsáveis do Clube da Alimentação em Acção;

5- Realização da actividade "Jogos Tradicionais", organizada pelos docentes do Grupo de Educação Física.


A cerimónia do hastear da Bandeira Verde contou com a presença dos alunos, professores, encarregados de educação e de algumas entidades ligadas à autarquia, ao ambiente e à educação.

Os alunos do primeiro ciclo apresentaram uma canção dedicada à preservação do ambiente, com algumas quadras alusivas a essa temática.


A Bandeira Verde marca, assim, o culminar de um trabalho desenvolvido na área da sensibilização ambiental e das boas práticas ambientais no ano lectivo transacto e o início de um novo projecto com vista à conquista do mesmo galardão no presente ano lectivo. No âmbito do Programa Eco-Escolas, o tema do presente ano lectivo será as Florestas.




terça-feira, 8 de setembro de 2009

III ENCONTRO REGIONAL ECO-ESCOLAS - PROGRAMA PROVISÓRIO

Estão abertas as inscrições para o III Encontro Regional de Eco-Escolas que, conforme demos a conhecer anteriormente neste espaço, decorrerá este ano no concelho da Calheta, mais precisamente no Auditório do Centro de Artes da Casa das Mudas, no dia 02 de Outubro. Numa organização da Câmara Municipal da Calheta, este encontro destina-se a todos os docentes e demais profissionais interessados no Programa Eco-Escolas.
De referir que o coordenador do programa Eco-Escolas da EB 123/PE Professor Francisco M.S. Barreto, professor Renato Azevedo, será um dos oradores convidados pela organização para a realização da apresentação de alguns trabalhos desenvolvidos pelas Eco-Escolas do Município da Calheta, bem como um dos orientadores do fórum Eco-Escolas: Planos de Acção e Monitorização, que decorrerá na parte da tarde.
Realce-se que a data limite para a realização de inscrições é até ao dia 18 de Setembro 2009, devendo ser remetidas para o endereço electrónico claudiasa@cm-calheta-madeira.com.
Eis o programa provisório daquele encontro:

9h00/9h30 – Recepção e distribuição de documentação

Local: Casa das Mudas

9h30/10h00 – Cerimónia de Abertura
10h00/11h00 – Entrega dos Galardões e Certificados Eco-Escolas
11h00/11h30 – Cerimónia simbólica do Hastear das Bandeiras Verdes das Eco-Escolas do Município da Calheta, no exterior da Casa das Mudas

11h30/12h00 – Coffee Break

12h00/13h00 – Intervenções de:
Coordenadora Nacional Programa Eco-Escolas: Avaliação das Actividades
Coordenador Regional Programa Eco-Escolas: Conselho Eco-Escolas
12h00/13h30 – Apresentação de alguns trabalhos desenvolvidos pelas Eco-Escolas do Município da Calheta

13h30 – Almoço (Escola Básica e Secundária da Calheta)

15h00/15h45 – Fórum Eco-Escolas: Planos de Acção e Monitorização
Sala 1 – Dr.ª Margarida Gomes
Sala 2 – Dr.ª Eunice Pinto
Sala 3 – Prof.º Renato Azevedo
Sala 4 – Prof.º José Manuel Silva
Local: Escola Básica e Secundária da Calheta

15h45/16h00 – Coffee Break

16h00/16h45 – Fórum Eco-Escolas: Planos de Acção e Monitorização
Sala 1 – Dr.ª Margarida Gomes
Sala 2 – Dr.ª Eunice Pinto
Sala 3 – Prof.º Renato Azevedo
Sala 4 – Prof.º José Manuel Silva
17h00/17h20 – Intervenção:
Dr.º Roberto Jardim - Director do Jardim Botânico: Floresta Indígena da Madeira
Local: Casa das Mudas
17h20/17h30 – Encerramento

segunda-feira, 7 de setembro de 2009

NÃO HÁ DUAS SEM TRÊS…


Já diz o velho ditado: não há duas sem três. O antigo adágio popular surge a propósito da recente distinção – a terceira – da nossa escola com o galardão Bandeira Verde, reconhecimento atribuído pela ABAE (Associação Bandeira Azul da Europa) às escolas que participaram, com sucesso, no ano lectivo findo no programa Eco-escolas, no âmbito do qual desenvolveram projectos de educação ambiental cuja qualidade foi reconhecida positivamente por aquela entidade certificadora.
A cerimónia de consagração das setenta e seis escolas da Região este ano distinguidas com o galardão Bandeira Verde, onze das quais pertencentes ao concelho da Calheta, acontecerá no dia 02 de Outubro no III Encontro Regional de Eco-Escolas que este ano, após as bem-sucedidas organizações em Porto Moniz e Câmara de Lobos, decorrerá no concelho da Calheta.
De referir que à excepção da Secundária da Calheta, da EB 1/PE de Ladeira e Lamaceiros e, naturalmente, da nossa, todas as demais escolas calhetenses estrearam-se no programa Eco-Escolas no ano lectivo transacto, acabando por ver agora reconhecido o trabalho desenvolvido com a atribuição do galardão, facto que muito nos apraz registar. Eis as escolas do concelho que este ano hastearão a Bandeira Verde:
- Escola EB 1,2,3/PE Professor Francisco M.S. Barreto;
- EB1/PE do Paúl do Mar;
- Escola EB 2,3 e Secundária da Calheta;
- EB1/PE Lombo da Guiné;
- EB1/PE do Jardim do Mar;
- EB1/PE da Calheta;
- EB1/PE do Estreito da Calheta;
- EB1/PE Ponta de Pargo;
- Escola EB 1/PE de Ladeira e Lamaceiros;
- Centros Educativos da Apresentação da Maria - Associação – Prazeres;
- EB1/PE Lombo do Autoguia.

domingo, 17 de maio de 2009

CLASSIFICAÇÃO PILHA-Ó-TINTEIRO

Nesta recolha foram contabilizados 19,15 kg de pilhas e baterias de TM. Relativamente a tinteiros, foram recolhidos apenas três. Assim, a tabela de Eco-recolectores, actualizada a 14 de Maio, apresenta-se da seguinte forma:

  • Cristina Pestana (7.º B) – 134 pontos;
  • Michelle Páscoa (9.º A) – 133 pontos;
  • Artur Agostinho (7.º A) – 117 pontos;
  • João Silva (7.º B) – 112 pontos;
  • Pedro da Luz (7.º C) – 64 pontos;
  • Gilberto Freitas (6.º A) – 55 pontos;
  • Mariana Jardim (1.º Ciclo) – 36 pontos;
  • Moisés Castro (6.º A) – 22 pontos;
  • Ivone Gonçalves (7.º C) – 12 pontos.

Lembramos que as pilhas recolhidas serão entregues no hipermercado Modelo da Ribeira Brava no âmbito da nossa participação no concurso Pilhas de Livros, promovido por aquela cadeia de hipermercados. Além disso, existem prémios individuais para os três primeiros classificados. Toca a participar!

CONCURSO ESCOLA ELECTRÃO: VALORES “OFICIAIS” DE PESAGEM DE RESÍDUOS DE EEE SÃO JÁ CONHECIDOS

São já conhecidos os valores “oficiais” de pesagem referentes à recolha de Equipamentos Eléctricos e Electrónicos (EEE) angariados pela nossa escola no âmbito da nossa participação no Concurso Escola Electrão, iniciativa promovida pela Amb3E (Associação Portuguesa de Gestão de Resíduos de Equipamentos Eléctricos e Electrónicos). 1900 kg é, segundo a Valor Ambiente, o total acumulado nas quatro recolhas de resíduos de EEE realizadas pela Resatlântico nos dias 20, 22, 24 e 27 de Abril na nossa escola.
Surpresos? Nós também. Para começar pelos valores de pesagem estranhamente tão... "redondos" apresentados nas guias de acompanhamento de resíduos, valores sempre arredondados à dezena, contrariando um dos lemas desta campanha “Aqui todos os quilos contam”. Outro aspecto no mínimo curioso é o facto das recolhas terem vindo progressivamente a “encolher”: dia 20 de Abril 660 kg, dia 22 de Abril 500 kg, dia 24 de Abril 440 kg e dia 27 de Abril 300 kg. Esta variação na taxa de recolhas nada teria de surpreendente não fosse o facto da primeira recolha ter sido considerada a mais elevada, facto no mínimo estranho se tivermos em conta que nesse dia os funcionários da Resatlântico apenas levaram televisões deixando todos os demais resíduos de EEE para uma próxima recolha – os próprios admitiram que por se tratar da primeira escola da Região em que realizavam este tipo de recolha não estavam preparados (vá-se lá saber porquê) para transportar tantos equipamentos.
Ora, quem como nós vive nesta escola o seu dia-a-dia pôde nessa semana constatar que aquando da segunda e terceira recolhas tínhamos pelo menos o dobro da quantidade de resíduos de EEE que foram recolhidos pelos funcionários da Resatlântico no primeiro dia. Mais, apenas a partir das segunda, terceira e última recolhas foram depositados no nosso “ponto electrão” os chamados “monstros” (máquinas de lavar, fogões, frigoríficos, etc.). Que explicação então para o decréscimo nos valores das pesagens?!
Desta situação demos imediato conhecimento à Amb3E e Resatlântico, conscientes de que tal não alterará rigorosamente nada – pior seria se alterasse, o que só viria atestar a “falta de rigor” verificada –, mas apenas com o intuito de que saibam que nós não estamos propriamente “a dormir”.
A verdade é que os nossos alunos e todos quantos se empenharam nesta campanha acabam por sair defraudados desta situação, não pelo facto de eventualmente deixarmos de ganhar um prémio, mas antes pelo sentimento claro de que fomos injustiçados. Conclusão: a seriedade com que encarámos este concurso não foi, infelizmente, minimamente correspondida. A todos (alunos, funcionários, encarregados de educação, docentes e até vizinhos da escola) quantos emprestaram a sua colaboração a esta iniciativa o nosso profundo agradecimento.

PS: O atraso de cinquenta minutos (!) protagonizado por um dos responsáveis da Amb3E, aquando de uma palestra levada a cabo na nossa escola, não pressagiava já nada de bom.

terça-feira, 12 de maio de 2009

PRÉMIOS PILHA-Ó-TINTEIRO ANO LECTIVO 2007/2008

Estando a decorrer há já algum tempo a II edição do concurso Pilha-ó-tinteiro (a terceira se considerarmos que no ano lectivo 2006/2007 este concurso dava pelo nome Pilha-de-pilhas), campanha de recolha de pilhas e baterias de TM inutilizadas, vimos pelo presente, face à fraca adesão que se tem verificado este ano lectivo, lembrar os prémios atribuídos na edição do ano passado. Assim, o vencedor Samuel Castro, então no 7.º B, foi contemplado com um leitor de MP4; sete filmes em DVD e um caderno diário Rock in Rio.
O segundo classificado, Duarte Gonçalves, então no 4.º ano, foi premiado com dois jogos para playstation (Spiderman 2 e Batman – O início); dois filmes de acção em DVD; um caderno diário Rock in Rio e um CD de música dos UHF.
Já a aluna Beatriz Jardim, terceira classificada na edição 2007/2008, recebeu três livros de romance (Como Água para Chocolate, O Padrinho e A Casa dos Espíritos), bem como três almanaques da Disney e um caderno diário Rock in Rio.
A qualidade dos prémios é para manter (e se possível reforçar na edição deste ano) pelo que apelamos à tua participação. Para participares basta entregares as tuas pilhas e tinteiros à funcionária de serviço no PBX. A tabela de Eco-recolectores será actualizada quinzenalmente até ao final do ano lectivo. Lembramos que as pilhas recolhidas serão entregues no hipermercado Modelo da Ribeira Brava no âmbito da nossa participação no concurso Pilhas de Livros, promovido por aquela cadeira de hipermercados. Toca a participar!

domingo, 10 de maio de 2009

ENVEREDAR PELO AMBIENTE MOVIMENTOU CINQUENTA ALUNOS

Cerca de cinquenta alunos do 2.º ciclo participaram na passada sexta-feira em mais uma actividade Enveredar pelo Ambiente, acção de limpeza de levadas e veredas promovida pelo Grupo Disciplinar de Ciências e Clube Eco da Escola Professor Francisco M.S. Barreto. Os alunos de 5.º e 6.º ano foram divididos em dois grupos, sendo que um dos grupos realizou o percurso Raposeira – Prazeres – Estreito da Calheta, via Levada Nova, enquanto os alunos integrados no segundo grupo seguiram pelo itinerário Raposeira – Ponta do Pargo, também via Levada Nova. Cada um dos grupos de alunos foi acompanhado por quatro docentes. De salientar, pela positiva, o facto de a quantidade de lixo recolhida pelos alunos ter sido muito menor comparativamente ao verificado em acções anteriores, bem como o facto de os percursos se apresentarem em excelente estado de conservação e manutenção, sinal de que alguma coisa está a mudar, para melhor, entre os utilizadores daqueles percursos pedestres.

sexta-feira, 8 de maio de 2009

VULCANISMO DA MADEIRA FOI TEMA DE SAÍDA DE CAMPO

Decorreu ontem, promovida pelo Grupo Disciplinar de Ciências da nossa escola, uma saída de campo subordinada ao tema: Vulcanismo da Madeira. A realização desta iniciativa, direccionada aos alunos de 7.º ano de escolaridade, estava já prevista para o segundo período do ano lectivo mas as condições climatéricas que se fizeram sentir à data prevista para a sua realização obstaram a que tal acontecesse.
Participaram nesta saída de campo, que teve início logo pela manhã, cerca de trinta alunos daquele nível de ensino – alguns não puderam estar presentes por estarem envolvidos nas diversas actividades do desporto escolar. A saída da escola aconteceu por volta das 09h00 rumo à Bica da Cana, no Paúl da Serra, o principal centro emissor das escoadas lávicas que originaram aquele planalto e onde se podem encontrar algumas das rochas mais recentes da ilha, com apenas 6.500 anos.
Mas nem só de vulcanismo se falou ao longo desta saída de campo. Os professores intervenientes foram sublinhando durante as diversas etapas da visita diversas particularidades da orografia da Madeira que, à semelhança das paisagens geológicas das demais ilhas vulcânicas, resultam da acção conjunta do vulcanismo e erosão – o que é construído pelo primeiro é destruído pela segunda. Este aspecto foi fundamental para que os alunos percebessem que a ilha de Porto Santo, por exemplo, é muito mais antiga do que a da Madeira – a "ilha dourada" emergiu há aproximadamente 8 M.a. enquanto que a Madeira é de formação bem mais recente, tendo emergido há "apenas" 5 M.a. O relevo mais erosionado de Porto Santo pode ser assim interpretado como "rugas" que atestam a sua formação mais antiga. A importância do maciço vulcânico central – perfeitamente visível da Bica da Cana – na determinação do clima da ilha foi outro dos aspectos abordados na primeira paragem.
Depois, estudantes e professores desceram o planalto rumo à Lombada dos Marinheiros onde puderam visualizar "in loco" alguns vestígios de vulcanismo explosivo, como os diversos piroclastos (cinzas, lapilli e bombas) bem como, mais à frente, a orientação e inclinação de algumas escoadas lávicas, aspectos que, quando bem analisados, poderão ajudar a determinar a localização do cone vulcânico. A saída de campo terminou no miradouro do precipício sobranceiro ao Paúl do Mar, local onde os alunos puderam visualizar outras manifestações de vulcanismo como a complexa rede de filões que sustenta aquelas escarpas e os cones de deslizamento a montante do Paúl do Mar. E porque já se fazia tarde – os ponteiros do relógio aproximavam-se da 13h00 – a saída de campo teve mesmo que ficar por aqui pois era tempo de regressar à escola.

domingo, 3 de maio de 2009

MADEIRA PELA PRIMEIRA VEZ NO CONCURSO NACIONAL "JOVENS CIENTISTAS"

Alunos da Calheta vão construir um protótipo de aquecedor solar

O concurso nacional para 'Jovens Cientistas e Investigadores' recebeu, pela primeira vez, uma candidatura de alunos da Região.Segundo informações fornecidas ao DIÁRIO, à 17ª edição do concurso promovido pela Fundação da Juventude (FJ) concorre um trabalho na área das Ciências do Ambiente da responsabilidade da Escola EB 1, 2, 3 / PE Professor Francisco M.S. Barreto, da Calheta. Os alunos em questão são do 9º ano (Alberto Leandro Freitas da Silva, Cláudio Pedro Fernandes e Sandra Caldeira Barreto) e propuseram-se a construir um Protótipo de Aquecedor Solar. No total, a organização recebeu 119 projectos das 11 áreas científicas abertas a concurso - Biologia, Química, Ciências da Terra, Economia, Engenharias, Ciências do Ambiente, Informática/Ciências da Computação, Matemática, Ciências Médicas, Física e Ciências Sociais. A FJ afirma "trata-se da maior adesão de sempre". Os jovens concorrentes têm idades compreendidas entre os 15 e os 20 anos, de todo o território nacional. O júri do concurso vai agora analisar as candidaturas, e os prémios serão anunciados na III Mostra de Ciências, que a FJ organiza de 21 a 23 deste mês, no Museu da Electricidade em Lisboa. Serão atribuídos quatro prémios (com valores que oscilam entre os 2 mil e os 500 euros), para além de menções honrosas não pecuniárias. A selecção dos trabalhos que irão concorrer na Mostra será divulgada no próximo dia 8 de Maio, no site da FJ (
www.fjuventude.pt/jcientistas2009).

sábado, 2 de maio de 2009

CARRO INGLÊS A CHOCOLATE ACELERA A 230 KM/H

A Universidade de Warwick, no Reino Unido, inscreveu na Fórmula 3 um veículo ecológico, o ecoF3, feito com fibras de vegetais e motor biodisel que usa chocolate e óleo vegetal. As fibras usadas são de cenoura para o volante, batata nos chassis e soja no que respeita aos assentos. O veículo andou a 230 km/h nos testes, mas não foi aceite no campeonato por causa do combustível. Os construtores do EcoF3 esperam que os regulamentos sejam alterados para estarem na grelha de partida em 2010.

In Revista Sábado

sexta-feira, 1 de maio de 2009

HIPERMERCADOS MODELO CONTINENTE PROMOVEM «PILHAS DE LIVROS»

Com o objectivo de sensibilizar as crianças para a importância da reciclagem das pilhas e acumuladores portáteis usados e fomentar hábitos de leitura, a Modelo Continente Hipermercados S.A. está a promover uma acção dirigida às escolas situadas na área de influência dos Hipermercados Modelo, desde o Jardim-de-infância até ao 3º Ciclo, localizadas em Portugal Continental e arquipélagos da Madeira e Açores. Por cada hipermercado Modelo será premiada a escola que mais pilhões conseguir juntar – até 15 de Junho de 2009 – proporcionalmente ao número total de alunos da escola. As escolas premiadas (uma por cada hipermercado Modelo) receberão, cada uma, €1.000 (mil euros) em livros do Plano Nacional de Leitura e adequados à idade dos alunos.
Convém esclarecer que no caso particular da nossa escola estaremos em concurso com as escolas situadas na área de influência do hipermercado Modelo da Ribeira Brava. Refira-se, meramente a título de curiosidade, que a escola vencedora deste concurso nos dois últimos anos foi o Externato São Francisco de Sales, dos Prazeres.
Reciclar dá muito que ler! Recicla pilhas com toda a tua energia e ajuda a nossa escola a ganhar livros!

terça-feira, 28 de abril de 2009

SEM PALAVRAS...

video

Com os devidos créditos à professora Adriana Guerreiro.

segunda-feira, 27 de abril de 2009

TERMINOU A NOSSA PARTICIPAÇÃO NO CONCURSO ESCOLA ELECTRÃO

Terminou hoje a autêntica odisseia que foi a participação da nossa escola no concurso Escola Electrão, concurso de recolha de resíduos de Equipamentos Eléctricos e Electrónicos promovido pela AMB3E a nível nacional. Durante quase seis meses alunos, funcionários e professores foram “limpando os armários” de suas casas de EEE em fim de vida que fomos armazenando religiosamente na escola. Se a nossa participação será uma das premiadas, isso, ainda não o sabemos, mas brevemente ser-nos-ão facultados os valores de pesagem dos resíduos de EEE recolhidos pela Resatllântico, empresa responsável pela recolha aqui na Região Autónoma da Madeira. Independentemente de sermos ou não premiados o importante a reter é que, para uma escola pequena como a nossa, a participação “de peso” verificada tem de constituir necessariamente um motivo de orgulho e incentivo para continuamos a abraçar projectos como este. A todos aqueles que emprestaram o seu contributo a esta causa, sejam eles alunos, funcionários ou docentes, deixamos o nosso sincero agradecimento. Permitam-nos porém um destaque particular à participação do aluno Gilberto Freitas, do 6.º A, que durante diversos meses foi “amealhando” diversos EEE na garagem de casa – certamente superior às duas dezenas de equipamentos – transportados depois para a escola pelo respectivo Encarregado de Educação. Um exemplo de dedicação e empenho fantástico.

sexta-feira, 24 de abril de 2009

RESÍDUOS DE EQUIPAMENTOS ELÉCTRICOS E ELECTRÓNICOS FORAM TEMA DE PALESTRA

No âmbito da participação da nossa escola no concurso Escola Electrão, decorreu ontem na escola uma palestra sobre o tema "Reciclagem de Resíduos de Equipamentos Eléctricos e Electrónicos". Esta acção foi ministrada pelo Eng. Guilherme Marcão, responsável da AM3E (Associação Portuguesa de Gestão de Resíduos de Equipamentos Eléctricos e Electrónicos) que se deslocou à Região para promover e informar acerca do projecto Escola Electrão em algumas das escolas aderentes. Promovida pelos docentes do Grupo Disciplinar de Ciências, a iniciativa contou com a participação de cerca de meia centena de alunos e professores que ficaram a conhecer um pouco melhor este projecto pioneiro a nível europeu, relativamente ao qual a Escola Professor Francisco Barreto é apenas uma de 413 inscritas de todo o país.
Objectivos e metas futuras do projecto Escola Electrão e, fundamentalmente, quais os procedimentos a adoptar quando necessário nos desfazermos de um EEE em fim de vida, foram alguns dos esclarecimentos prestados pelo responsável da AMB3E. Entretanto, nunca é de mais relembrar, o ponto electrão manter-se-á na escola até à próxima segunda-feira, dia 27 de Abril, pelo que os interessados têm apenas até essa data para ali depositarem os seus EEE em fim de vida. Para tal basta dirigirem-se à escola e contactarem a funcionária do PBX. Colabore!

quinta-feira, 9 de abril de 2009

QUINTA PEDAGÓGICA DOS PRAZERES - CADA VEZ MAIS UMA REFERÊNCIA...

A Quinta Pedagógica dos Prazeres foi criada no ano 2000 com o objectivo de valorizar o mundo rural. O projecto implementado pelo Padre Rui Sousa, pároco da freguesia dos Prazeres, desde logo abriu-se à comunidade local e aos visitantes com a revitalização da Casa de Chá, criação de áreas para o cultivo de plantas aromáticas e medicinais e recriação da “quinta madeirense”, com a presença de animais domésticos, nomeadamente galinhas, porcos, cabras, vacas entre outros. O projecto cresceu através da aposta em novas vertentes. Hoje, turistas e muitas famílias com crianças visitam este espaço propriedade da paróquia para observar de perto animais exóticos. Lamas, Emas, porquinhos do Vietname, cabras anãs habitam a quinta por sugestão do Jardim Zoológico de Lisboa. Na casa de chá encontram-se à venda uma grande diversidade de compostas, doces, chás, sidra, mel. Tudo produtos da quinta como indicam os rótulos: 'Quinta Pedagógica dos Prazeres'. A venda destes bens ajudam a contrabalançar as contas do dia-a-dia e a pagar os ordenados dos nove funcionários. Este espaço pedagógico é ainda responsável por diversas actividades anuais ligadas ao mundo rural. A população não poupa elogios ao projecto iniciado pelo pároco. Lúcia Cátia considera o local o ponto de encontro e de desenvolvimento da freguesia. “A economia desenvolveu-se depois da quinta estar a funcionar”, refere a jovem. “As pessoas procuram a zona dos Prazeres pela quinta e pelo que ela criou à sua volta”. A Quinta Pedagógica dos Prazeres oferece um espaço internet e acesso gratuito à rede por ligação Wi-Fi. A última novidade prende-se com a abertura de uma galeria de arte e uma exposição permanente de botânica do padre Emanuel Nóbrega.

video

quinta-feira, 26 de março de 2009

PONTO ELECTRÃO VEM A CAMINHO...

Tal como informámos oportunamente, a nossa escola está inscrita no Concurso Escola Electrão, concurso de âmbito nacional – com um total de 413 escolas inscritas – inserido numa campanha de recolha de resíduos de Equipamentos Eléctricos e Electrónicos (EEE) promovida pela AMB3E.
Nesse sentido, somos a comunicar que, segundo informação veiculada pela entidade organizadora daquele concurso, o Ponto Electrão (contentor de recolha de EEE) chega à nossa escola no dia 20 de Abril sendo recolhido no dia 27 do mesmo mês.
Mais uma vez apelamos à colaboração de todos os elementos da comunidade escolar, no intuito de se verificar uma “mobilização em massa” em prol desta causa por forma a que, assim, possamos ganhar este concurso (pelo menos) na categoria de recolhas per capita. O objectivo principal é ajudar o Ambiente mas, e porque existem fantásticos prémios para as escolas melhor classificadas, não escondemos a ambição de ganhar – os prémios serão para a escola e, como tal, beneficiar-nos-ão a todos na nossa acção educativa. Todos nós temos lá em casa um EEE que já não funciona: um rádio, uma televisão, um computador, um carregador, uma lanterna, etc. Mesmo que não tenhamos, vamos passar a palavra aos amigos, aos vizinhos e aos amigos dos vizinhos (ou os vizinhos dos amigos) para que esta nossa participação resulte em mais um sucesso. As entregas poderão ser feitas junta da D. Marlene, funcionária do PBX.
Contribua para esta causa. Pelo Ambiente, pela nossa Escola, por Ti!

Prémios para a escola melhor classificada em recolhas per capita:

- Dois computadores portáteis;
- Duas impressoras;
- Uma câmara fotográfica digital;
- Um projector;
- Um televisor LCD;
- Um combi DVD.

domingo, 22 de março de 2009

ÁGUA...

Que seria de mim, sangue da minha vida, sem ti?
Escorrendo pelos meus dedos como o tempo que vivi
Água translúcida, inodora, envolvente mas sem sabor
Tal qual minha existência nas longas noites sem amor

Recordo-me de teus lábios molhados com sabor a mel
As gotas de suor que se juntaram sobre nossa pele
Os momentos que passámos envoltos os dois
O gemido no escuro, a dor do prazer que vem depois

E vem-me à memória aquele dia em que soltaste o desgosto
A lágrima que por entre a chuva me lavou o rosto
Escorrendo da suja culpa que me paralisou o grito
Aterrorizado pelo medo de perecer, de sede de ti aflito

Água, que tantas vezes me lavas a alma e me levas a dor
Ubíqua testemunha ocular do nosso crime de amor

E definhando na tua ausência, a um Deus suplico socorro
Clamo por ti porque sei que se não beber de ti eu morro

Renato Azevedo



COMEMORA-SE HOJE...

O Dia Mundial da Água foi criado pela ONU (Organização das Nações Unidas) no dia 22 de Março de 1992.
Mas porquê tanta preocupação com a água se, como todos sabemos, dois terços da superfície do nosso planeta são constituídos por este líquido? A razão é que, do total da água existente no nosso planeta, apenas cerca de 0,008 % é potável. Pior é que grande parte dos reservatórios de água potável (rios, lagos, aquíferos e represas) são alvo da constante acção depredativa do Homem. Esta situação é preocupante pois, num futuro próximo, poderá faltar água para o consumo de grande parte da população do planeta. Foi antevendo esta crise mundial que a ONU instituiu há dezassete anos o Dia Mundial da Água, cujo objetivo principal é criar um momento de reflexão, análise, consciencialização e elaboração de medidas práticas para resolver este problema.
Mas como devemos comemorar esta importante data? Não só neste dia, mas também nos outros 364 dias do ano, é fundamental adoptarmos atitudes que colaborem para a utilização sustentável deste bem natural no nosso dia-a-dia. Sugestões não faltam: não deitar lixo nos ribeiros, lagos e nos solos; economizar água nas actividades quotidianas (banho, escovagem de dentes, lavagem de automóveis e louças, etc.) ou reutilizar a água em diversas situações.
É importante não nos esquecermos de que não há vida sem água. A água é um bem precioso indispensável a todas as actividades humanas. É um património de todos e, como tal, cada um de nós tem o dever de a economizar e de a utilizar racionalmente. Alterar a qualidade da água é hipotecar a sobrevivência das gerações futuras.
Especialistas da ONU estimam que, a manter-se o ritmo actual de desperdício e poluição de água potável (ainda) disponível nos diversos reservatórios, em 2025 dois em cada três habitantes do planeta não tenham água para beber. Pense nisto!

quinta-feira, 19 de março de 2009

ROLHAS DE CORTIÇA JÁ PODEM SER SEPARADAS PARA RECICLAGEM

A Quercus iniciou recentemente na Madeira uma campanha de recolha e reciclagem de rolhas de cortiça – Campanha Green Cork – criada com o objectivo de promover uma melhor gestão e um maior aproveitamento do resíduo cortiça e de obter recursos para o desenvolvimento de acções de conservação da natureza, as quais se estenderão também à Madeira.
As rolhas recolhidas serão aproveitadas, através da reciclagem, para o fabrico de produtos de cortiça – aglomerados, tais como isolamentos, juntas de dilatação, revestimentos, entre outros. As verbas obtidas com a entrega das rolhas na Corticeira Amorim revertem para financiar a reflorestação das nossas serras.
Assim, todos os contributos para esta recolha selectiva são também contributos para a diminuição do volume de resíduos e para o aumento da reflorestação da nossa ilha. E, como não poderia deixar de ser, a nossa escola aderiu também a esta campanha. Separe e coloque as suas rolhas de cortiça nos diversos rolhões disponíveis na escola. Contribua para um melhor ambiente!

domingo, 15 de março de 2009

PINTE SEU TELHADO DE BRANCO E REDUZA A TEMPERATURA DO PLANETA

A ONG Green Building Council Brazil é uma organização sem fins lucrativos que tem como objectivo incentivar a construção civil no país a adoptar o conceito de “construção verde”. Construção verde é uma série de estratégias de utilização do solo, projeto arquitectónico e construção em si, que reduzem o impacte ambiental. Entre os benefícios deste tipo de construção estão o menor consumo de energia, proteção dos ecossistemas e mais saúde para os ocupantes. A actual campanha da ONG intitulada “One Degree Less”, ou em português, um grau a menos, tem como base uma atitude simples e que todos podem fazer, basta pintar seus telhados de branco. Isto porque a cor branca reflete de 80 a 90% da luz solar incidente.
Com as superfícies externas da casa pintadas de branco, menos calor penetra na casa e a temperatura interna pode variar até 5°C. A título de comparação, telhados pintados de vermelho ou marrom refletem de 20 a 35% e as cores laranja e cinza ficam na média dos 50 e 30% respectivamente. Vale lembrar que a tinta branca deve ser recomendada para áreas externas ou tinta naval.


"PILHA-Ó-TINTEIRO" 2008/09 COM METAS BEM DEFINIDAS

À semelhança do que se tem verificado em anos anteriores, o Clube Eco da nossa escola está a implementar um concurso de recolha de pilhas, baterias de telemóvel, tinteiros e toners usados. O objectivo mor desta campanha é a recolha para reciclagem destes resíduos que, como é do conhecimento geral, integram na sua constituição elementos extremamente tóxicos para o meio-ambiente, designadamente metais pesados como o cádmio, o chumbo ou o mercúrio.
Infelizmente, a forma como estes resíduos são descartados pós-utilização não é geralmente a mais correcta, sendo não raras vezes abandonados junto a terrenos ou cursos de água ou, o que acontece na maioria das vezes, depositados conjuntamente com os lixos comuns, geralmente encaminhados para aterros sanitários, correndo-se assim sérios riscos de contaminação de solos, cursos de água e lençóis freáticos. Deste modo, os componentes tóxicos destes resíduos acabam muitas vezes atingindo a flora e a fauna das regiões circunvizinhas e, através da cadeia alimentar, os seres humanos, nos quais originam um fenómeno conhecido por bioacumulação.
Só a título de curiosidade, uma simples exposição a elevadas concentrações de óxido de cádmio pode causar graves irritações pulmonares ou mesmo a morte. Já o chumbo, considerado um dos mais perigosos metais tóxicos, pela quantidade e severidade dos seus efeitos, pode ter efeitos no sangue, medula óssea, sistema nervoso e rins, resultando em anemia, encefalopatia, cólicas abdominais e insuficiência renal; é tóxico para a reprodução e desenvolvimento humanos. O mercúrio, por sua vez, é um tóxico celular geral, provocando desintegração de tecidos. À medida que passa para a corrente sanguínea liga-se às proteínas do plasma e glóbulos vermelhos, distribuindo-se pelos tecidos. Concentra-se nos rins, fígado e sangue, medula óssea, parede intestinal, parte superior do aparelho respiratório, mucosa bucal, glândulas salivares, cérebro, ossos e pulmões provocando a sua destruição gradual.
E porque não acreditamos que quem quer que seja permaneça indiferente face à descrição dos efeitos nefastos destes resíduos, temos este ano por objectivo pilhar o máximo destas ameaças do meio-ambiente. O ano passado – ano lectivo 2007/08 – recolhemos exactamente 80,631 kg de pilhas e 184 tinteiros. Este ano, as metas quantificadas são bem mais ambiciosas e “redondas”: 100 kg de pilhas e 200 tinteiros. Convém lembrar que uma única pilha deixada no solo contamina-o durante mais de cinquenta anos. Não vire costas a este problema. Colabore!

sábado, 14 de março de 2009

ALUNOS EM PORTA-A-PORTA PELA SEPARAÇÃO DIFERENCIADA DE RESÍDUOS

Dando seguimento ao respectivo plano anual de actividades, alunos e docentes do Clube Eco iniciaram na passada semana uma acção de sensibilização porta-a-porta junto da comunidade local sobre o tema Separação diferenciada de resíduos. O objectivo fundamental desta iniciativa é sensibilizar a comunidade local para a necessidade de redução da quantidade de lixo que todos nós produzimos no nosso dia-a-dia e, na impossibilidade de o fazermos tanto quanto seria desejável, da importância de separar esses resíduos por categoria.
Nesse sentido, os alunos deste clube de actividades de enriquecimento curricular elaboraram diversos desdobráveis contendo a informação que consideram fundamental e com a qual esperam elucidar os populares acerca dos comportamentos correctos a adoptar relativamente ao processamento de resíduos. Nestas acções de porta-a-porta, que terão continuidade até ao final do ano lectivo, os alunos procuram não só motivar os populares para o tema da separação diferenciada de resíduos, transmitindo-lhes informação adequada, como também receber um feedback da parte dos mesmos sobre, nomeadamente, principais dificuldades sentidas, índices de motivação para a adopção desta prática ou sugestões que, depois de devidamente compiladas, constituirão o suporte de um estudo que pretendem publicar no final do ano lectivo.
Aproveitando estes momentos de interacção com os populares, os alunos e professores intervenientes estão a divulgar as diversas campanhas de recolha de resíduos promovidas pela escola, nomeadamente pilhas, tinteiros e toners, tampinhas, rolhas de cortiça e equipamentos eléctricos e electrónicos (EEE).

28 DE MARÇO, 20H30: HORA DO PLANETA 2009

Hora do Planeta é uma iniciativa da WWF que pretende mobilizar mil milhões de pessoas contra as alterações do clima No próximo dia 28 de Março você tem um compromisso com o Planeta para demonstrar que a luta contra as Alterações Climáticas é possível: quando forem 20h30 apague as luzes e veja a diferença que pode fazer no combate ao aquecimento global!
Esta iniciativa, promovida pela WWF, envolve Cidadãos Comuns, Governos e Empresas numa acção conjunta que pretende sensibilizar os menos atentos para os efeitos nefastos do aquecimento global. Até ao momento, mais de 900 cidades em 80 países já se comprometeram a apagar as luzes dos seus edifícios mais emblemáticos.
Em Lisboa, o Cristo-Rei, a Ponte 25 de Abril, o Palácio de Belém, o Mosteiro dos Jerónimos, a Torre de Belém, o Padrão das Descobertas, o Castelo de São Jorge, os Paços do Concelho, o Museu da Electricidade e o Centro Cultural de Belém vão ficar às escuras como sinal de apoio à mensagem da Hora do Planeta.
Qual é o objectivo da Hora do Planeta?
O ano de 2009 é um ano crítico nesta questão, uma vez que é o ano em que 192 líderes mundiais, sob o apelo das Nações Unidas, se vão reunir numa Conferência sobre as Alterações Climáticas, em Copenhaga, no mês de Dezembro. Aí estará em preparação a assinatura de um novo acordo de substituição do Protocolo de Quioto, visando a adopção de medidas mitigadoras destas alterações do clima.
Com esta iniciativa, a WWF pretende mostrar aos líderes mundiais que o mundo está atento às medidas mitigadoras que vão sair desta cimeira e que todos estão comprometidos na luta contra as alterações climáticas.

quarta-feira, 11 de março de 2009

COMEMORAÇÕES DO DIA DO CORPO DE POLÍCIA FLORESTAL

Antecipando as celebrações do Dia Mundial da Floresta, que se realiza no próximo dia 21 de Março, os alunos de sétimo ano da nossa escola participaram hoje nas comemorações do Dia do Corpo de Polícia Florestal que decorreram na área de lazer dos Estanquinhos. Esta actividade, promovida pela Direcção Regional de Florestas, constou de um atelier educativo sobre a profissão de Polícia Florestal, de uma visita guiada ao posto florestal local, bem como de uma plantação simbólica na zona dos Estanquinhos onde, de resto, estes (e outros) alunos já haviam realizado uma plantação em Novembro do ano passado.
Com esta iniciativa pretendia-se que os alunos (re) conhecessem a importância dos “soldados da floresta” na protecção e preservação florestal, inteirando-se, de forma mais directa, com a actividade quotidiana daqueles agentes. Deste modo, alunos (e professores) ficaram a saber, entre outras coisas, que o corpo de Polícia Florestal da RAM é já quase centenário – comemoraram no passado Domingo noventa e cinco anos de existência –, bem como algumas das tarefas que incumbem a estes agentes e que, contrariamente ao que se possa pensar, são muito mais vastas e abrangentes do que a “mera” vigilância florestal. Com efeito, são funções dos guardas florestais, entre outras, a fiscalização do cumprimento da legislação florestal de caça e pesca, acções de educação e sensibilização das populações na área florestal ou a prevenção e detecção de incêndios florestais, bem como a colaboração no seu combate, constituindo-se assim como os “fiéis depositários” desse património mundial que é a floresta madeirense.
De referir que, pese embora a data oficial das comemorações do Corpo de Polícia Florestal ser o dia 08 de Março, as actividades dirigidas às escolas realizaram-se apenas hoje dada a circunstância de este ano aquela data ter coincidido com um Domingo.

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

'FUNCHAL FREECYCLE': 'RECICLAR' EM VEZ DE DEITAR FORA


Chama-se 'Funchal Freecycle' e foi criado recentemente. O projecto é feito à imagem do que já existe em cerca de uma centena de países de todo o mundo e em outras cidades portuguesas e tem como objectivo reciclar objectos em vez de os deitar fora.Cristina Abreu, moderadora do grupo do Funchal e que prefere se intitular como uma simples voluntária do projecto, ouviu pela primeira falar sobre o 'Freecycle' em blogues norte-americanos e rendeu-se ao conceito.A jovem madeirense achou interessante o facto de haver um projecto através do qual as pessoas se podem 'desfazer' dos mais variados objectos (móveis, electrodomésticos, roupas, livros, revistas, entre outros) ou até animais, colocando-os à disposição de pessoas que os poderão utilizar e que realmente precisem dessas peças, em vez de os deitar fora numa qualquer lixeira ou aterro. "Há sempre alguém que precisa de alguma coisa", acrescenta. Tal como todos os outros grupos já existentes, o 'Funchal Freecycle' é um projecto sem quaisquer fins lucrativos ao qual podem aceder pessoas interessadas em dar algum objecto de que já não precisa ou pessoas à procura de determinada peça. "Não é exigido nada a ninguém", ressalva Cristina Abreu. "É tudo gratuito".Porém há regras a cumprir. Os objectos devem ser apropriados a todas as idades e cumprir requisitos legais. Não podem ser afixados objectos de pornografia, bebidas alcoólicas, drogas, tabacos e armas (brancas ou de fogo).Além da vertente de dar determinados objectos a quem precisa e de reutilizar as peças até onde for possível, o 'Freecycle' também tem o propósito de "evitar que os aterros e as lixeiras encham de um momento para outro e transbordem". Cristina Abreu diz que, ao nível mundial, com as cerca de seis milhões de pessoas que já fazem parte do projecto, estima-se que se evite a entrada diária em aterros e lixeiras de 500 toneladas de 'lixo'."Achei que fazia falta na Madeira um projecto destes", explica a moderadora e fundadora do 'Funchal Freecycle'.A iniciativa que já está activa, além de no Funchal, em Alcobaça, Aveiro, Braga, Coimbra, Covilhã, Faro, Leiria, Lisboa, Loures, Maia e Porto, funciona inteiramente através da Internet.Através do portal 'Yahoo' é possível entrar numa página do grupo do 'Funchal Freecycle' e, neste local, anunciar quais os objectos que as pessoas têm para dar ou então, quais os objectos que desejam receber de outras pessoas. "É tudo muito simples", ressalva Cristina Abreu. O projecto está aberto a todas as pessoas, de todas as idades e estratos sociais e aceita também a participação de instituições sem fins lucrativos.Para mais informações poderão consultar o site oficial do movimento em www.freecycle.org ou então esclarecer dúvidas com a moderadora Cristina Abreu, enviando um mail para o endereço de correio electrónico funchafreecycle-owner@yahoogroups.com. Se quiser aderir à iniciativa basta visitar o espaço do grupo em http://groups.yahoo.com/group/funchalfreecycle e clicar em 'join this group'. Depois, basta seguir os passos e começar a participar.

Com os devidos agradecimentos ao professor Paulo Cafôfo.

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

O PECADO DE DARWIN...

Comemoram-se hoje os duzentos anos do nascimento do "pai" da teoria da evolução, o conhecido naturalista britânico Charles Darwin. Um pouco por todo o lado, mas principalmente em Inglaterra, a sua terra natal, a data vem sendo assinalada com grande pompa já que o autor de A Origem das Espécies foi sem sombra de dúvida um dos "pesos pesados" do mundo das ciências naturais, estatuto alcançado muito em parte devido aos estudos científicos publicados em A Origem das Espécies. Porém, aspectos "obscuros" ainda hoje ensombram a origem da teoria da evolução, não tanto pelos princípios subjacentes àquela, cuja aceitação é hoje praticamente universal, mas, fundamentalmente, por algumas "pontas soltas" deixadas pelo seu autor.
Para os menos familiarizados com a vida e obra do nosso "aniversariante" é importante adiantar que tudo começou quando o então jovem Charles Darwin embarcou na famosa viagem do HMS Beagle, em 1831, como amigo do capitão Fitzroy – apesar do naturalista oficial da expedição ser na realidade Robert McCormick. As observações e recolhas realizadas por Darwin ao longo da costa sul-americana mas, fundamentalmente, as célebres observações feitas nas Ilhas Galápagos, já em 1833, entraram para a história como o momento de inspiração de Darwin para a percepção da teoria evolutiva.

Quatro anos mais tarde a circum-navegação do Beagle terminava e, como seria de esperar, a comunidade científica ansiava pelas revelações que, sabe-se hoje, mudariam definitivamente o curso da Ciência. No entanto as coisas não se processaram bem dessa forma. Na realidade Darwin apenas descreveu as suas teorias em 1859 – mais de vinte anos depois! - numa obra publicada de forma apressada e algo atabalhoada (e mais tarde reescrita) sob o título de Da Origem das Espécies por Meio da Selecção Natural. E foi o comportamento no mínimo intrigante de Darwin que esteve na origem das primeiras dúvidas: qual a pressa para publicar tão importante teoria, quase como um rascunho, depois de mais de vinte anos de quase absoluto sigilo? Será que Darwin temia alguma coisa? A resposta para estas e ouras questões parece estar na correspondência pessoal mantida entre Charles Darwin e Alfred Russell Wallace, brilhante naturalista de "segunda linha" que, na época, não passava de um profissional pobre que tinha que trabalhar para sobreviver – muito ao contrário de Darwin, descendente de famílias aristocratas. Wallace passou onze anos na Amazónia, mais precisamente no Rio Negro e, ao que parece, foi quem "deu a dica" a Darwin através de cartas (que constam em suas inúmeras biografias), antecipando as conclusões sobre os próprios achados de Charles. Ao morrer, em 1882, Darwin deixou um legado de aceitação relativa da "sua" teoria. Muito depois, já em 2003, a conclusão do sequenciamento do genoma humano pôs em evidência a enorme semelhança entre a nossa carga genética e a dos chimpanzés, reforçando o pensamento Darwiniano de que temos um ascendente em comum. Se dúvidas subsistissem, confirmava-se assim que Darwin estava certo. Ou seria Wallace?
Como se não bastassem as suspeitas, estudos recentes levados a cabo por um grupo de cientistas britânicos confirmam a acusação a Darwin de plágio em A Origem das Espécies. Os cientistas trabalharam com um grupo de analistas de computação, especialistas em programas anti-plágio, para investigar em detalhe A Origem das Espécies, principal motor da moderna teoria da evolução. Resultado: os investigadores concluíram que algumas das ideias mais importantes de A Origem das Espécies foram copiadas de outro naturalista britânico, com quem Darwin trocava frequentemente correspondência, precisamente... Alfred Russell Wallace!
A este propósito aconselhamos vivamente a leitura do romance de John Darnton O Pecado de Darwin, obra galardoada com o Prémio Pulitzer que, não obstante tratar-se de uma obra de ficção (baseada em documentos históricos), combina de forma harmoniosa as vertentes histórica e ficção. Vale bem a pena a leitura.